Para especialista, autônomos devem ser mais profissionais para sempre terem trabalho

O trabalho freelancer é uma realidade para muitas profissões que permitem um trabalho autônomo. Quem é freelancer tem na flexibilidade de horários um ponto positivo. E a falta de estabilidade financeira, que é vista como o principal fator negativo, pode até ser considerado algo bom, pois faz com que o profissional sempre saia da sua zona de conforto. A opinião é do especialista em empreendedorismo americano Matt Keenan.

Em artigo publicado no site da revista “Entrepreneur“, Keenan listou dicas para que os freelancers consigam impulsionar seus negócios e percam o medo de ficar sem trabalho. Confira:

1. Seja um prestador de serviços

Funcionários: O primeiro benefício que vem à cabeça é o financeiro, devido às horas extras trabalhadas, afirma o consultor de carreira americano Andy Teach, acrescentando que algumas empresa compensam o sacrifício com bônus, até dobrando o salário.
Empreendedores: A oportunidade de vender quando ninguém está vendendo ou adiantar algum projeto para aumentar as vendas.


Reconhecimento

Segundo Keenan, por mais que trabalhem por conta e não tenham um patrão, nem todo freelancer se enxerga como um empreendedor. O especialista diz que muitos deles acreditam que não precisam da organização e da disciplina financeira de quem realmente administra uma empresa. Só que, ao trabalhar de forma mais profissional, são maiores as chances de você escalar seu negócio. A dica do americano é que você não se apresente como um freelancer, mas como um prestador de serviços. Esta simples mudança faz com que seus clientes enxerguem você com outros olhos.


2. Cobre menos

O preço cobrado por um serviço é um reflexo da média do mercado, da experiência do profissional e de quanto ele se acha melhor do que profissionais da área. Antes de tudo, estabeleça esse valor. Com ele em mãos, reduza-o em 25%. Esse desconto parece maluquice, mas, segundo o especialista, atrai a atenção de empregadores e pode motivá-los a construir uma relação de longo prazo. Ou seja, cobre mais barato hoje para ter uma renda fixa por muito tempo.


3. Seja confiável

Não seja caloteiro e entregue tudo no prazo. Assim, quem contratou você terá mais chance de procurá-lo novamente. E, além disso, sua reputação fará que outras pessoas o procurem. E assim sua base de clientes aumentará.


4. Tente conhecer seus clientes pessoalmente

Em tempos de trabalho frente ao computador e home office, não é surpreendente que haja freelancers que jamais apertaram a mão de seus clientes. Keenan diz que, por mais que isso não seja necessário para que um projeto fique bom, conhecer pessoalmente quem paga uma parte dos seus ganhos funciona como uma estratégia de fidelização: o freelancer consegue estabelecer um laço afetivo mais forte que pode ser muito importante na hora de enfrentar a concorrência, por exemplo.


Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios


Deixe um comentário e compartilhe!